Indústria

FAQ Solda: Máquinas, arames e tipos de solda.

Escrito por flavaccaro

Saiba tudo sobre soldagem e máquinas de solda acessando agora o blog do Gaveteiro! As informações mais importantes você encontra aqui! Confira!

Trabalhos na área de soldagem demandam muita atenção do profissional em relação à proteção, material, maquinário e tão mais importante quanto, as normas exigidas pelos órgãos competentes para estar dentro dos padrões de segurança e qualidade do trabalho.

 

São tantos os detalhes a que se deve estar atento quando se trabalha com solda, que ficamos com muitas dúvidas e não sabemos o que fazer e nem onde começar a procurar informações. Aqui, respondemos as mais diversas dúvidas que se tem quando o assunto é soldagem. Confira!

Normas de Trabalho

– Qual a necessidade da NR-12 para trabalhos industriais e maquinário de solda?

A NR-12 não apenas abrange máquinas de solda, mas todo maquinário industrial e as formas corretas de trabalhar com segurança dentro de uma indústria. Dentro da NR-12 existem algumas especificações que precisam ser seguidas para que todo o maquinário industrial seja considerado realmente seguro para o ambiente de trabalho. No caso das máquinas de solda existe um “questionário” para saber se a máquina é ou não capaz de trabalhar corretamente sem causar acidentes. Por isso antes de comprar verifique se a máquina atende todas as especificações exigidas pela ABNT e pela NR-12.

– Quais são os itens necessários para que o soldador não sofra acidentes durante o expediente de trabalho?

Para que o trabalhador execute sua função com segurança, é imprescindível que ele esteja usando: um avental ou uma casaca de raspa, mangotes, perneiras, luvas de cano longo, touca de algodão ou de raspa, óculos de proteção, botas de segurança com bico de aço, máscara para soldagem e protetor auricular.

– Por que usar botas com bico de aço durante o trabalho com solda?

O uso de botas de bico de aço no ambiente de trabalho com solda se dá pelo risco de quedas de objetos pesados sobre os pés. Como o trabalho de soldagem envolve o uso de maquinário pesado como: máquinas de solda, cilindros de gás e oxigênio, placas de ferro etc., é importante que esse item seja usado diariamente.

– O que acontece quando o trabalhador não usa  a máscara de solda durante o trabalho com máquinas e consumíveis de solda?

Se o funcionário não usar máscara de solda durante sua jornada de trabalho, ele pode contrair doenças oculares que podem levar à cegueira parcial ou total. O contato frequente com os raios infravermelhos, ultravioleta ou luz visível podem afetar a visão de forma irreversível. Além disso, ao soldar, algumas partículas volantes (como pó de ferro e outros agentes) podem chegar até o olho e entrar na corrente sanguínea pelo nariz, causando problemas pulmonares que também podem ser irreversíveis se não tratados com antecedência.

Maquinários: Tire todas as dúvidas

– Quais tipos de máquina de solda estão disponíveis no mercado?

Os equipamentos de solda mais comercializados atualmente são as Inversoras, utilizadas nos processos de Eletrodo Revestido, TIG, e MIG/MAG. Há também os Transformadores e Retificadores, utilizados para Eletrodo Revestido e também os equipamentos de maior porte para soldagem MIG/MAG.

– Máquinas de solda são fabricadas apenas com voltagem 220V?

Não, existem máquinas de solda de 127V, 220V, 380V e 440 V, podendo a mesma máquina oferecer voltagens diferentes.

– É possível conectar a máquina de solda na tomada comum?

Não, a máquina de solda precisa de uma tomada especial.  O plug da máquina de solda é mais grosso do que os das tomadas padrões que temos em casa.

– Qual a diferença entra a máquina de solda monofásica e a máquina de solda trifásica?

A diferença entre a máquina de solda monofásica e a máquina de solda trifásica é que a máquina monofásica tem ligação de uma fase + um neutro, a máquina trifásica precisa de uma ligação de três fases + um neutro.

– Qual a melhor máquina de solda para pequenos trabalhos?

Depende do processo a ser utilizado. Porém máquinas portáteis, do tipo Inversora,  costumam ser mais utilizadas para pequenos reparos.

– Quais acessórios são necessários para uso junto com a máquina de solda?

Depende da marca e da máquina que está sendo comprada. Cada máquina de solda necessita de cabos de tensões e funções diferentes, e claro, é necessário se atentar ao tipo de solda que será feita. Verifique o trabalho e o material utilizado e escolha a máquina de solda que resolva esse processo.

Há muitos termos nessa área: Entenda todos

Existem alguns termos nesta área importantes para poder entender e fazer o trabalho de forma correta. Continue lendo e tire todas as suas dúvidas

– O que é escória?

Escória é o que sobra do arame após o trabalho com a máquina de solda. A escória líquida protege o metal soldado da contaminação atmosférica durante a solidificação da liga, evitando ferrugem ou alterações inesperadas na liga entre metais.

– O que é consumível?

São todos os materiais que se consomem no processo de Soldagem, tais como Eletrodos, Varetas, Arames, Gases, etc.

– O processo TIG solda qualquer metal?

O processo TIG solda todos os metais. Porém é importante lembrar que o Alumínio deve ser soldados com uma Fonte de Corrente Alternada (CA), enquanto outros metais como Inox e Aço Carbono devem ser soldados com Corrente Contínua (CC).

– Por que o eletrodo de alumínio estraga mais fácil?

O revestimento desse tipo de consumível de solda é feito em sais e por esse motivo, quando ele entra em contato com o oxigênio ele acaba estragando com mais facilidade. Então, quando for usar eletrodos de alumínio é muito importante comprar a quantidade certa para o trabalho e não deixar armazenado por muito tempo, pois as chances de perder o produto são muito altas.

– Posso soldar eletrodos em qualquer máquina?

Depende da característica do eletrodo. A grande maioria dos eletrodos podem ser soldados em qualquer tipo de máquina.  Porém é necessário considerar, por exemplo, a tensão em vazio do equipamento. Outro detalhe é verificar se o eletrodo solda em Corrente Alternada ou Corrente Contínua. Por exemplo, eletrodos Celulósicos não podem ser utilizados em Transformadores, os quais operar em Corrente Alternada. No caso de Eletrodo Celulósico, deve ser utilizado Retificadores ou Inversoras com tensão em vazio alta.

– Qual a diferença no uso de eletrodos, varetas e arames inox para processos de solda?

Eletrodos são usados em processos de soldagem em máquinas de solda inversoras ou transformadoras. Varetas de solda são utilizadas em soldagens mais específicas com máquinas para solda TIG. Já o arame de solda é usado juntamente com máquinas que fazem processos de soldagem MIG/MAG.

– Existem normas que regem os processos de solda com aço inox?

Sim. Para soldagem em geral, a mais comum, o eletrodo a ser usado deve ser o 308-L.
Para soldagem de aço + inox, são necessários eletrodos 309-L.
Para soldagem de produtos usados na indústria alimentícia, hospitalar ou química, é imprescindível que o eletrodo usado seja o 316-L.

– Soldagem inox é mais indicada para que tipo de ambiente?

Ambiente industrial como: Indústria farmacêutica, indústria alimentícia. Para estruturas metálicas em geral usadas em residências, escolas, escritórios etc.

Arames de Solda: Saiba identificá-los

Quais são os tipos de arames usados para os trabalhos com soldagem?

Existem diversos tipos de arames, cada qual classificado em dois segmentos: arame sólido e arame tubular.

O que é necessário saber sobre arame sólido?

Os arames sólidos mais comumente usados têm diâmetro entre 0,6 a 1,6 mm. São feitos de maneira mais rústica, sem muita tecnologia envolvida. Normalmente, por conta do seu material mais pesado, só é possível trabalhar na posição 0 (soldagem plana e horizontal) de acordo com a AWS A5.20.
Esse tipo de arame demanda também de gás de proteção para que se tenha maior eficiência no trabalho, com a soldagem MIG e MAG, cada qual apresentando o gás de forma diferente.  Esses gases servem para proteger o metal de solda da atmosfera.
Na sessão arame sólido tem-se duas vertentes, arame sólido cobreado e arame sólido não cobreado.

Arame sólido cobreado versus Arame sólido não cobreado: Qual a diferença?

O arame sólido cobreado manganês-silício OK Outrod 12.51 da ESAB é destinado à soldagem com gás de proteção (MIG/MAG), trabalha com o ar do ambiente em que se está sendo trabalhado e com os gases de proteção do arame. Já o arame sólido não cobreado OK AristodRod 12.50 da ESAB, por ter um baixo teor de carbono, é ideal para trabalhar com o processo de soldagem GMAW, de aços de baixa liga ligado ao manganês e o molibdênio. O arame não cobreado evita receber cargas que influencie no trabalho, tendo como proteção o maçarico.

E sobre o arame tubular, o que se tem?

Arame tubular, conta com mais tecnologia, desenvolvido com diâmetros menores, entre 1,0 a 1,4, dependendo da marca e modelo. Tem-se esse nome por não ser feito como o arame sólido. Seu interior é constituído por fluídos, encapado por um por um invólucro metálico, fazendo com que tenha maior proteção, assim, não precisa de proteção gasosa como o arame sólido.
Lembrando que tudo depende de modelos e marcas, onde alguns são necessários a proteção gasosa.
Por ser um produto feito com materiais mais flexíveis, é possível trabalhar na posição 1 (soldagem em diversas posições) de acordo com a AWS A5.20. Tornando-se trabalhos mais produtivos.


Assim como o arame sólido, o arame tubular também tem as suas classificações.


Para ser mais explicativo, abordamos como exemplo, os modelos de arame tubular da ESAB. Cada arame tubular, em seu interior, recebe uma combinação de fluídos diferentes, feitos por cada fabricante, para cada tipo de aplicação. Abaixo alguns exemplos:

  • Arame Tubular OK Auto protegido: Esse tipo de arame não precisa de gás de proteção. Os fluídos em seu interior com o gás carbono (CO2) do ambiente, já proporcionam proteção para o trabalho de soldagem.
  • Arame Tubular Ok Tubrod com gás de Proteção: Como o próprio nome já diz, esse arame precisa de proteção gasosa. Quando começa o processo de soldagem, o arame solta um gás que protege a deposição do ar, não afetando na qualidade do trabalho.
  • Arame Tubular OK não metálico (Metal Cored): Esse arame é como um arame sólido, mas em seu interior é recebido o pó de fluídos metálicos, ou seja, não precisa de gás de proteção. Pela sua velocidade na soldagem, o arame tubular não metálico, proporciona maior produtividade nas tarefas
  • Arame Tubular OK com Fluxo não Metálico (Flux Cored): Os fluídos do interior desse arame proporciona a flexibilidade da soldagem, permitindo o trabalho em todas as posições, mas não proporciona por si só a proteção, sendo necessária a aplicação do gás no invólucro do arame.

Como se percebe nos exemplos acima, cada arame tem uma característica própria. O modo de transferência do metal de solda tem variações específicas comuns com a aplicação dos gases.  

Existem 3 formas de fazer a transferência do metal: aerossol, globular e por curto-circuito.

  • Transferência na forma aerossol: Ocorre de forma que se mistura a proteção em argônio com a corrente elevada do ar, para que a força de origem magnética passe a controlar o processo de transferência. A transferência em forma de aerossol, não dá muitos resultados na soldagem de juntas de maior espessura e para a soldagem na posição plana.
  • Transferência na forma globular: É feito como uma torneira pingando, porém nesse caso as gotas são de metal líquido, que fica com um diâmetro maior ao do próprio eletrodo, ao cair na superfície por conta da gravidade. Há uma grande ocorrência de respingos. Necessário o uso de luvas específicas (ver texto Luvas Térmicas). Essa transferência ocorre com corrente baixa (força magnética pequena) e elevada tensão (grande comprimento de arco).
  • Transferência na forma curto-circuito: É típica da soldagem com um pequeno comprimento de arco. Nesta, o eletrodo toca repetidamente de 20 a 200 vezes por segundo, a peça, ocorrendo um curto-circuito. Durante este, a corrente de soldagem se eleva rapidamente causando um aquecimento forte do eletrodo por efeito Joule, a sua fusão e a transferência de metal para a poça de fusão com a ruptura de uma parte do eletrodo e a reabertura do arco elétrico.

Qual a função do gás de proteção?

As funções principais do gás de proteção são proteger a poça de fusão (o arame derretido no local de junção da soldagem), contra a ação dos gases atmosféricos, principalmente o oxigênio, e promover uma atmosfera conveniente e ionizável para o arco elétrico. Caso haja contato de ar atmosférico com o metal aquecido em processo de solidificação, muitas variações da área soldada serão geradas, prejudicando a integridade e as propriedades mecânicas da junta trabalhada.

Algumas Siglas e Tipos de Soldagem

– O que significa FBTS?

FBTS é o órgão que regulamenta consumíveis de solda para uso em plataformas de petróleo. Os que são específicos e capazes de suportar a corrosão marítima por mais tempo.

– O que é soldagem MAG?

MAG (Metal Active Gas) é processo de soldagem com gases ativos normalmente em arames sólidos – acobreados ou não -, e em alguns tubulares – quando necessitam de proteção-.

– O que é soldagem MIG?

MIG (Metal Inert Gas) é o processo de soldagem com gases inertes, também em arames sólidos – acobreados ou não -, e em alguns tubulares – quando necessitam de proteção-.

– O que é soldagem TIG?

Soldagem TIG (Tungsten Inert Gas) é um processo de soldagem a arco elétrico com proteção gasosa, em que pode ser feito o adicionamento de metal ou não. Normalmente na forma de de um arame relativamente fino.

Sobre o autor

flavaccaro

Flavia é redatora do Gaveteiro.com.br

Deixar comentário.

Share This