Construção Civil Indústria Manutenção Predial

Proteção: confira detalhes da luva de proteção elétrica

Fernanda Silva
Escrito por Fernanda Silva

Todos os profissionais que trabalham com a área de eletricidade devem fazer uso de EPIs (Equipamento de Proteção Individual) obrigatórios exigidos pela NR 10 — Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade. Entre os muitos equipamentos de proteção solicitados para essa função, um dos mais importantes é a luva de proteção elétrica.imagens-ilustrativa-de-luvas-a-ser-usadas-na-cozinha-epi-em-latex-e-antitermica-mais-usada-na-cozinha-industrial

Neste artigo, mostraremos como escolher corretamente a melhor luva de proteção elétrica para o seu funcionário, garantindo a segurança dele sem afetar a qualidade do trabalho. Acompanhe a leitura e fique por dentro!

Quais são as consequências da carga elétrica?

As cargas elétricas, dependendo da densidade, ao entrar em contato com o corpo da pessoa afeta as células do organismo, podendo causar contrações musculares involuntárias. Os riscos são muito graves, podendo até mesmo causar paralisia dos órgãos, como o coração e o cérebro.

Para evitar a ocorrência de acidentes de trabalhos causados por eletricidade, as luvas de proteção elétrica oferecem defesa para os membros superiores dos trabalhadores, cobrindo totalmente as mãos, pulsos e, em alguns casos, o antebraço.

Proteção: confira detalhes da luva de proteção elétrica

É importante sempre verificar se não há furos que permitam a passagem da corrente elétrica. A falta de proteção contra essas cargas, especialmente por não usar os EPIs adequados, expõe o trabalhador não somente a riscos de saúde, mas também de vida.

Quem deve usar a luva de proteção elétrica?

Todo profissional que trabalha com eletricidade, que seja certificado e que tenha a devida orientação sobre o trabalho, precisa usar as luvas de proteção elétrica devido aos riscos da profissão. O trabalhador quando qualificado, além de saber como executar as atividades, saberá quais equipamentos de proteção usar, não executando a função sem os EPIs necessários.

É imprescindível que profissionais que fazem o manuseio de redes com voltagens elevadas usem sempre as luvas protetivas. A função delas é proteger a integridade física do trabalhador e fazer com que um trabalho de alta periculosidade possa ser executado com total segurança.

Proteção: confira detalhes da luva de proteção elétrica

Os empregadores precisam ficar atentos em relação ao fornecimento da luva adequada, de boa qualidade e que esteja de acordo com o padrão estipulado em lei. Isso evita possíveis intercorrências durante o serviço, mantém o colaborador em segurança e ainda se adéqua às Normas Regulamentadoras.

Quais são as características da luva de proteção elétrica?

Para o trabalho com eletricidade devem ser usadas luvas feitas de borracha isolante, não sendo permitido o uso de qualquer outro material. Dessa forma, assegura-se que as correntes elétricas não passem para o corpo.

Existem muitos modelos de luvas de borracha que protegem tanto contra as correntes elétricas de alta quanto as de baixa tensão. Além disso, elas precisam vir acompanhadas das seguintes informações: tipo, classe, nome do fabricante, tamanho, diâmetro, número da norma, número do Certificado de Aprovação (C.A.), além do número de série e o lote.

Tipo

A luva de proteção elétrica é confeccionada na cor preta e bicolor para classificá-la quanto a sua resistência ao ozônio — gás natural presente na atmosfera que, junto ao oxigênio, pode resultar em descargas elétricas — que faz com que o produto se deteriore de maneira mais rápida.

Quanto a sua classificação, a luva bicolor (amarela com preta) é classificada como Tipo I, não sendo resistente ao ozônio. Já a preta, na classificação Tipo II, é resistente ao ozônio. Além disso, a luva de proteção elétrica pode ser separada de acordo com sua função:

  • luva isolante de borracha: protege as mãos e braços em casos de choques elétricos nas atividades em circuitos;
  • luva de cobertura: é usada sobre a luva de borracha. Sua função é protegê-la;
  • luva de proteção condutiva: é uma luva mais justa que protege as mãos e os punhos. Seu uso é feito durante as manobras de contatos elétricos;
  • luva de vaqueta: é uma luva de proteção mecânica para as do tipo condutiva. Essa luva deve ter vaqueta nas palmas das mãos, dedo e dorso, além de ter uma tira de reforço entre os dedos polegar e indicador.

Classe

As informações de voltagem das luvas de proteção elétrica são classificadas em cores  bege (classe 00), vermelho (classe 0), branco (classe 1), amarelo (classe 2), verde (classe 3) e laranja (classe 4) —, pois assim fica mais fácil verificar a voltagem que cada uma suporta.

Uma luva de classe 2, por exemplo, é classificada na cor amarela. Modelos enquadrados nessa classificação são as mais comuns, suportando voltagem de 17.000 volts. Já a de classe 00, cor bege, tem uma espessura de borracha isolante de 0,05mm e suporta cerca de 500 volts.

Vale lembrar de que toda luva isolante deve ser usada em conjunto com outra luva de proteção: luvas de vaqueta, luvas de tecido ou luvas antichamas, dependendo do tipo de trabalho elétrico a ser executado, além de roupas específicas.

Quais são os cuidados necessários com a luva de proteção elétrica?

Após o uso da luva de proteção elétrica, o mais recomendado é limpá-la e guardá-la adequadamente. Dessa forma, prolonga-se o tempo de vida útil do equipamento, afinal a manutenção e boa condição de uso da luva são tão importantes quanto a própria utilização da mesma.

Outro detalhe é sempre fazer uma rigorosa inspeção visual antes de usá-la, procurando qualquer alteração ou dano no objeto. A luva não deve ser usada caso sejam encontrados furos, cortes ou qualquer elemento incrustado nela — isso pode prejudicar a isolação do material.

Proteção: confira detalhes da luva de proteção elétrica

Sobre o armazenamento e cuidado com a luva de proteção elétrica, o item 4.6 da NBR 10622 afirma:

  • ela precisa ser acondicionada em caixa de papelão, com a etiqueta para fora;
  • não podem ser dobradas, comprimidas, enrugadas ou submetidas a qualquer atividade que possa alongar ou comprimir o material;
  • a luva deve ser guardada em lugares livres de ozônio, químicos, óleos, vapores prejudiciais, solventes, fumos e descargas elétricas;
  • deve ser guardada longe da ação de radiação e fontes de calor;
  • a temperatura não pode ser superior a 35 graus.

O item 3.8.3, dessa mesma norma, determina que as luvas podem ser lavadas com sabão suave ou detergente leve e água. Após a lavagem, é importante secá-las totalmente. Alvejantes ou cloretos suaves podem ser usados para fim de desinfecção, desde que não sejam fortes o bastante para danificar o material da luva.

O que diz a NBR10622?

A NBR10622, de fevereiro de 1989, se refere às condições que os fabricantes de luva de proteção elétrica têm de atender para conferir a segurança dos profissionais que utilizam esse equipamento. A partir disso, são realizados testes de isolamento elétrico de acordo com as especificações de cada luva.

Além do mais, são feitos testes de resistência mecânica conforme o envelhecimento da luva para confirmar sua eficácia no decorrer do tempo. Tudo isso para garantir equipamentos de qualidade que realmente protejam o eletricista durante o exercer do seu trabalho.

Dessa forma, as luvas recebem as suas classificações, que, como vimos, vão de 00 a 4 — isso define o grau de proteção que a luva atende. Quanto ao acabamento, as luvas não podem ter irregularidades, nem interna, nem externamente.

O contorno superficial deve ser liso e uniforme, não podendo conter riscos, furos, trincas, bolhas, cortes, bolsas de ar ou saliências. A parte interna precisa ter acabamento de halogenação, o que possibilita um bom calçamento.

Relacionadas às regras sobre manutenção da luva de proteção elétrica, de acordo com a NR 10 é obrigatório que elas sejam submetidas a testes elétricos ou ensaios de laboratório periódicos, obedecendo-se as especificações de fábrica.

A periodicidade recomendada é que seja feito um ensaio a cada seis meses. Esse tempo pode ser menor, caso as condições e frequência de uso das luvas sejam constantes. Os procedimentos para os ensaios são padronizados pela NBR 10622 e devem ser feitos por profissionais habilitados.

Quais os outros EPIs necessários para o trabalho com eletricidade?

uso dos EPIs são fundamentais para garantir a segurança de diversos profissionais. No caso do eletricista, alguns equipamentos, além da luva de proteção elétrica, são importantes para proteger o funcionário no ambiente de trabalho.

Os principais EPIs para eletricistas são:

Capacete

capacete é um equipamento imprescindível para diminuir os riscos de ferimentos graves na cabeça em casos de acidentes. O principal objetivo de usá-lo é reduzir os efeitos causados por quedas ou choque mecânico.

Para os eletricistas, o capacete de segurança ideal é o de classe B, que é indicado para o uso com riscos de choque elétrico. Em relação à confecção, os modelos com aba total oferecem mais proteção. Esses capacetes são confeccionados para proporcionar um maior afastamento do rosto em caso de contato com energia elétrica.

Botina de segurança

Outro EPI importante, especialmente quando o profissional de elétrica trabalha em locais onde o ambiente é mais perigoso, como em estações de energia, é recomendado o uso de uma bota isolante para eletricista.

As botas protegem os pés contra ações provenientes de descargas elétricas. Na escolha desse EPI é preciso muito cuidado, pois ela não pode ter nenhum material elétrico.

Para garantir 100% de segurança, é preciso optar por um calçado de borracha e dielétrico, capaz de isolar eletricidade com eficiência. Um modelo interessante são as botas com biqueira de composite. Esse material é composto por uma mistura de carbono, vidro e poliéster.

Vestimenta

Os riscos que os eletricistas se submetem durante os trabalhos exigem vestimentas adequadas. Elas protegem contra efeitos térmicos emitidos por incêndios e arcos elétricos. Isso porque essa roupa especial é feita com materiais que isolam cargas elétricas e retardam as chamas.

O traje adequado evita o contato direto da pele com as altas tensões, especialmente que contenham faíscas e fogo, o que garante mais segurança durante o trabalho. Contudo, para exercer essa função protetiva, os trajes precisam ter uma tecnologia antichamas.

A roupa deve ser fabricada com um material com resistência a altas temperaturas, além de absorver e dissipar descargas elétricas. Lembrando de que, assim como a luva de proteção elétrica, usar mangas isolantes feitas de borracha é fundamental. A função dela é proteger os braços em casos de maior periculosidade.

Assim como os demais EPIs, usar a luva de proteção elétrica é indispensável para quem trabalha com alta-tensão, a fim de evitar possíveis acidentes de trabalho ou mesmo a morte. As empresas devem informar seus funcionários quanto aos riscos da função e instruí-los sobre o uso das luvas de maneira adequada, afinal não usá-las pode resultar em acidentes gravíssimos.

Então, o que achou do nosso post? Para não perder nenhum dos nossos conteúdos, assine nossa newsletter e receba nossas atualizações direto no seu e-mail!

Sobre o autor

Fernanda Silva

Fernanda Silva

Produtora de conteúdo no Gaveteiro.com.br.

Deixar comentário.

Share This