Construção Civil Indústria Manutenção Predial

Veja: melhores práticas de segurança do trabalho e aplique na empresa

Escrito por flavaccaro

Adotar práticas de segurança do trabalho é essencial para preservar a integridade física dos funcionários, evitar passivos trabalhistas e atender a legislação. Cada empresa possui o seu próprio manual de boas práticas de segurança.

Esse manual indica os EPIs (equipamentos de proteção individual) que devem ser utilizados para determinada função. O documento também orienta sobre os EPCs (equipamentos de proteção coletiva) — compostos por sinalizações e placas de comunicação.
Todavia, algumas práticas de segurança no trabalho se constituem de regras gerais que devem ser implantadas por todas as empresas para preservar a saúde dos colaboradores. Entre elas estão: o uso correto dos equipamentos, das instalações e do meio ambiente.
Então, quais são as melhores iniciativas para adotar na empresa? Acompanhe!

Adote medidas de prevenção de acidentes

O principal objetivo das boas práticas de segurança do trabalho é prevenir acidentes. Para isso, é necessário investir em treinamentos, melhoria contínua e fiscalização sobre o uso correto de EPIs.
Além de distribuir os materiais e desenvolver os treinamentos, é fundamental conscientizar os funcionários sobre a importância do uso deles e, ainda, sinalizar os locais com o uso dos EPCs para alertar sobre os perigos e prevenir acidentes. Por exemplo: deve-se indicar a localização dos extintores, rotas de fuga, pisos escorregadios, entre outros.

sinalização de ambientes com chão molhado

Faça o treinamento da equipe e conheça as responsabilidades

O técnico ou engenheiro de segurança do trabalho é o responsável por treinar a equipe. Ele também deve definir quais são os equipamentos mais adequados para garantir o desempenho da função dos colaboradores. Por isso, é preciso informar para a CIPA — Comissão Interna de Prevenção de Acidentes sobre a utilização dos EPIs.
A CIPA é formada por representantes da empresa e dos funcionários. A comissão tem o intuito de ajudar o técnico ou engenheiro de segurança do trabalho na adoção de ações preventivas. Ela também auxilia na identificação de possíveis riscos à saúde e na orientação dos demais trabalhadores para o uso correto dos EPIs.
Vale lembrar que o profissional de segurança do trabalho é responsável pela obtenção de documentos que envolvem a empresa e sua segurança. Ele também tem a obrigação de:

  • Buscar a autorização junto ao Corpo de Bombeiros;
  • Trabalhar na prevenção de incêndios;
  • Criar e treinar a equipe de brigada de incêndio para dar uma rápida resposta em situações de risco;
  • Cuidar da ergonomia dos equipamentos para diminuir os riscos físicos dos funcionários;
  • Avaliar os riscos de produtos químicos;
  • Repassar as melhores práticas de segurança do trabalho para os funcionários;
  • Orientar sobre as rotas de fuga em situações de emergência.

treinamento para trabalho em altura para evitar acidentes de trabalho

 

Adote práticas de segurança do trabalho para fornecedores e autônomos

Os funcionários terceirizados e demais prestadores de serviços devem conhecer as normas de segurança da empresa. Para tanto, deve-se informar a lista de materiais homologados para uso, pois só os itens aprovados poderão ser usados pelos profissionais subcontratados.
Ademais, o técnico de segurança do trabalho deve treinar os terceirizados para que eles saibam agir de acordo com as normas da empresa. É preciso lembrá-los que nenhum serviço pode ser executado por conta própria, pois devem ser adotadas as práticas de segurança do trabalho exigidas. Todas as informações devem constar nos contratos entre as partes, a fim de evitar imprevistos no futuro.

Zele pela limpeza e organização do ambiente de trabalho

A higiene ocupacional tem como objetivo promover a prevenção, reconhecimento, avaliação e controles dos riscos ocupacionais que podem provocar doenças. Sendo assim, deve-se fazer um estudo sobre os produtos que apresentam risco, avaliar potenciais problemas antes de eles acontecerem, verificar o nível de tolerância permitido pela legislação e tentar eliminar os fatores prejudiciais à saúde.
Por exemplo: os riscos físicos podem se constituir de ruídos, radiações, calor, umidade, entre outros. Sendo assim, é necessário verificar essas situações e preveni-las.
Ademais, o técnico precisa orientar os funcionários para que mantenham os espaços de trabalho limpos e organizados a fim de evitar acidentes. As passagens da empresa — como escadas, corredores e saídas de emergência —, também precisam estar desobstruídas.
Os pisos escorregadios devem conter sinalizações e itens para evitar quedas. E os equipamentos de trabalho não devem estar em posições que facilitem a queda sobre outras pessoas.

limpeza do ambiente de trabalho para evitar riscos ocupacionais

Alerte os funcionários sobre seus direitos e deveres

Cabe ao técnico ou engenheiro de segurança do trabalho orientar os colaboradores sobre os seus direitos e deveres. Conheça as principais garantias:

  • Os funcionários devem receber equipamentos de EPI em bom estado e sem custo;
  • Eles têm direito de desempenhar as atividades em segurança, com equipamentos que protejam dos riscos;
  • Eles também devem ter condições físicas, químicas e ergonômicas de trabalho de acordo com a lei.

Contudo, os colaboradores também têm deveres a cumprir e devem ser orientados sobre essas questões:

  • Os funcionários precisam cumprir com as boas práticas de segurança do trabalho;
  • Eles devem atender o código da empresa, suas questões técnicas e pessoais (como código de conduta, por exemplo);
  • Precisam usar e entregar o EPI corretamente;
  • Devem zelar e conservar os equipamentos de segurança;
  • Eles ainda têm o dever de informar qualquer problema com o EPI.

Atue de acordo com as Normas Regulamentadoras (NRs)

Essas normas têm o intuito de regulamentar as práticas de segurança do trabalho e assegurar a integridade física dos trabalhadores.
A NR6, por exemplo, explica sobre essa obrigatoriedade das empresas oferecerem os EPIs gratuitamente aos funcionários. Eles devem estar adequados aos riscos enfrentados pelos trabalhadores e em bom estado.
Caso algum item seja danificado, ele precisa ser substituído. Outro fato importante da norma é que ela determina que os equipamentos de segurança devem ser certificados a fim de garantir sua eficácia.
Já a NR10 determina as condições de segurança para os trabalhadores que lidam com instalações elétricas. Dessa forma, ela indica o uso de equipamentos especializados para esses profissionais como:

Sendo assim, os equipamentos de segurança precisam estar de acordo com as atividades desenvolvidas por cada trabalhador.

Faça uma análise de controle e riscos

Todos os riscos (físicos, químicos, biológicos e ergonômicos) devem ser analisados e gerenciados de maneira planejada. Para tanto, é necessário considerar os visitantes, fornecedores, empresas parceiras, situações de quebra de rotina e emergências.
Também é necessário adotar medidas de proteção da rede elétrica e de combate a incêndio. Caso ocorram acidentes, o técnico ou engenheiro de segurança do trabalho precisa tomar as providências necessárias e apurar as responsabilidades.

fazendo uma analise dos riscos que o ambiente oferece para evitar acidentes

Conheça as providências e responsabilidades da medicina do trabalho

O profissional da área precisa realizar palestras, encontros e demais atividades para orientar os trabalhadores sobre a importância da prevenção de acidentes. Contudo, quando um problema ocorre é necessário fazer uma investigação pela equipe de medicina de trabalho e pelo técnico de segurança para identificar as causas do acidente.
Algumas vezes, a causa pode ser falha humana em função de fadiga (quando o funcionário trabalha mais de 12 horas por dia), falta de treinamento para o desempenho da função ou ausência de equipamento apropriado. Nesses casos citados, a responsabilidade é da empresa.
Porém, quando é identificada a falta de cuidado do trabalhador em relação ao uso correto do EPI ou no desempenho de sua função (depois de realizados os devidos treinamentos), a culpa é do funcionário. Por isso, é indicado proibir o acesso a possíveis distrações nas fábricas, como equipamentos de televisão ou uso de celular.
Já nos casos de falha mecânica, a empresa deverá acionar o fabricante das máquinas e fazer uma investigação das causas do acidente.
Portanto, é importante adotar práticas de segurança do trabalho para preservar o capital humano e resguardar a empresa perante a lei. As medidas ainda contribuem para aumentar a satisfação dos colaboradores e dar mais confiança para o desempenho das atividades.

medicina do trabalho trabalhando contra acidentes de trabalho

 

Achou este post útil? Assine nossa newsletter e receba informações em sua caixa de e-mail!

Sobre o autor

flavaccaro

Flavia é redatora do Gaveteiro.com.br

Deixar comentário.

Share This