Construção Civil Indústria

Quais as normas e EPIs para trabalho com solda? Descubra aqui!

Escrito por flavaccaro

Você conhece todos os EPIs para trabalho com solda? Essa atividade exige um cuidado ainda maior do profissional de saúde e segurança do trabalho, que deve conhecer detalhadamente as normas regulamentadoras para a função.

homem-usando-maquina-de-solda

Você tem dúvidas sobre o assunto e quer proteger os colaboradores dos riscos? Então acompanhe este post e confira as nossas dicas!

Conheça os maiores erros cometidos no uso de EPIs para trabalho com solda

As atividades de soldagem apresentam muitos riscos para os profissionais. Eles estão expostos a eletricidade, queimaduras e radiações ionizantes, que podem ser nocivas aos olhos do executor ou dos demais trabalhadores das adjacências.

Por isso, qualquer deslize pode ser muito prejudicial para a saúde do funcionário, e cabe ao profissional de segurança do trabalho ficar atento a essas questões. Acompanhe os principais problemas para redobrar o cuidado com essas situações:

  • deixar os cabos da máquina ou o equipamento em atmosferas úmidas e molhadas;
  • erguer a máscara de solda ao executar a soldagem antes do fim do processo de queima do eletrodo. Isso expõe os olhos ao risco, sendo um erro muito comum em oficinas mecânicas e serralherias;
  • realizar atividades de solda, aquecimento ou com centelha de fogo próximo aos postos de combustíveis;
  • ignorar os riscos ergonômicos durante a atividade.

Saiba mais sobre a NR34 e suas exigências

Ela é a Norma Regulamentadora que estabelece os níveis mínimos de proteção à segurança e saúde do trabalhador da indústria de construção, reparação e desmonte naval, envolvendo estruturas como navios, plataformas e lanchas.

Ela também determina que o empregador é o responsável pela implementação das medidas de proteção. Para tanto, deve designar um profissional para a aplicação das normas, adotar estratégias para prevenir acidentes e interromper os trabalhos em casos de perigos para a saúde do trabalhador.

A normativa ainda determina que a empresa precisa fazer uma Análise Preliminar de Risco (APR) e a emissão da Permissão de Trabalho (PT). Os colaboradores devem receber orientações sobre as medidas de proteção e os eventuais riscos da atividade mediante cursos com carga mínima ­de 6 horas.

Por exemplo: em atividades em alto-mar ou estaleiros, os trabalhadores devem passar por treinamento específico como o Curso Básico de Segurança em Plataforma (CBSP). Em alguns casos, eles ainda precisam utilizar coletes salva-vidas.

O profissional de saúde e segurança do trabalho ainda é responsável por providenciar um certificado de conclusão do curso. Uma cópia é entregue ao trabalhador e outra é arquivada na empresa. Também é muito importante solicitar a assinatura dos funcionários sobre o conhecimento das medidas de proteção como forma de garantir a segurança da companhia em eventuais acidentes.

Veja quais são os EPIs para trabalho com solda

Para evitar riscos à saúde do trabalhador, a empresa deve oferecer os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para cada função. Conheça os principais para a atividade de soldagem:

Avental ou casaca de raspa, mangotes e perneiras

avental ou casaca pode ser do tipo barbeiro, sem mangas ou blusão, e a escolha varia apenas de acordo com o conforto oferecido ao usuário, já que ambos oferecem o mesmo tipo de proteção.

Ele não dá segurança apenas à solda, visto que muitas vezes os trabalhadores utilizam esmerilhadeiras para fazer o acabamento das peças e ficam expostos às partículas multidirecionais. Logo, é aconselhável elevar o nível de proteção para o corpo inteiro.

O mais indicado é que os EPIs para trabalho com solda não tenham peças metálicas, como fivelas, em função do risco de contato com partes energizadas das máquinas de solda. Para tanto, pode-se utilizar o velcro no lugar.

Luvas de cano longo

Elas devem possuir cano longo para proteger as mãos e parte do braço do trabalhador. As luvas mais sofisticadas são costuradas com linhas de aramida, o que confere mais resistência ao material. Isso também minimiza os casos de aberturas que podem expor o colaborador ao risco de queimaduras.

Touca de algodão ou de raspa

As toucas usadas para proteger os trabalhadores não devem conter materiais sintéticos, pois eles podem incendiar facilmente quando expostos a fontes de calor ou respingos de solda. Portanto, é necessário ter muita atenção na hora de escolher o material adequado para o colaborador.

Óculos de proteção

Eles devem oferecer proteção total contra partículas multidirecionais oriundas das atividades de acabamento de peças.

Botas de segurança

Os calçados adotados para trabalhadores em atividades de solda devem ter biqueiras, que podem ser de aço ou composite. Elas precisam ser costuradas com linhas resistentes a respingos e à borra de solda, sendo indispensável que elas contenham metatarso.

Máscara para soldagem

As máscaras mais comuns são compostas de material plástico (polímero) ou celeron. Embora sejam relativamente mais caras, as que possuem autoescurecimento figuram de maneira cada vez mais importante, já que minimizam um problema recorrente das atividades de solda: o profissional abaixar a máscara após iniciar a solda e levantá-la antes do término, o que o expõe à radiação. Com as máscaras automáticas, o conforto torna-se maior e o risco de exposição é reduzido.

Protetor auricular

Ele deve ser adotado em ambientes com avaliação ambiental de ruído. O anexo I da NR 15 sobre insalubridade determina que o trabalhador pode ficar exposto a, no máximo, 85 decibéis de ruído em uma jornada de trabalho de 8 horas.

Se o volume for superior a esse, como em um desbaste de peças por esmerilhadeiras, é necessário adotar um protetor auditivo cuja atenuação seja suficiente para se enquadrar nos 85 dB.

Confira algumas dicas para escolher o EPI adequado

Nem todos os EPIs protegem o trabalhador contra fumos e contaminantes. É necessário que o profissional de saúde e segurança do trabalho realize um Programa de Proteção Respiratório (PPR) para identificar as práticas recomendadas para proteger os colaboradores dos fumos metálicos provenientes de atividades com solda ou lixamento de peças.

Eles são considerados agentes químicos e precisam de EPIs ou EPCs próprios para isso. Vale lembrar que os contaminantes classificados como agentes químicos exigem cuidados maiores, pois podem ser agentes tóxicos, asfixiantes e causadores de alergias.

Além do mais, é necessário ficar atento ao tipo de filtro/vidro que deve ser adquirido nas máscaras de proteção. Eles variam de tonalidade e devem ser aplicados de acordo com o tipo de solda (eletrodo, TIG, MIG), e também podem variar conforme a amperagem das máquinas.

Existem normas internacionais que orientam sobre a escolha correta para a proteção dos olhos do usuário. Uma delas é a ANSI Z49 1:2012. Ela descreve uma breve classificação de utilização de filtros para proteção contra radiação oriunda de diversos processos de solda. Veja os exemplos abaixo:

Para o processo SMAW (Eletrodo Revestido):

AMPER                 NÚMERO MÍNIMO DO FILTRO             NÚMERO PARA CONFORTO

I < 60                                     7                                                                             –

60 > I < 160                          8                                                                            10

160 > I < 250                       10                                                                           12

250 > I < 550                       11                                                                           14

 

Para o processo GMAW (Mig/Mag):

AMPER                 NÚMERO MÍNIMO DO FILTRO             NÚMERO PARA CONFORTO

I < 60                                       7                                                                        –

60 > I < 160                           10                                                                       11

160 > I < 250                        10                                                                       12

250 > I < 500                        10                                                                      14

 

Processo GTAW (Tig):

AMPER                 NÚMERO MÍNIMO DO FILTRO             NÚMERO PARA CONFORTO

I < 50                                        8                                                                          10

50 > I < 150                             8                                                                          12

150 > I < 500                          10                                                                        14

Além disso, é importante que os EPIs tenham o Certificado de Aprovação para assegurar a qualidade dos equipamentos e a segurança do trabalhador.

Agora que você já conhece os EPIs para trabalho com solda, o que acha de garantir a segurança dos trabalhadores da sua empresa? Conheça alguns produtos certificados e recomendados para a sua equipe!banner-de-produtos-de-solda-vendidos-no-gaveteiro

Sobre o autor

flavaccaro

Flavia é redatora do Gaveteiro.com.br

2 comentários

Deixar comentário.

Share This