Manutenção Predial

NR 26: tudo sobre sinalização de segurança

icones de pessoas caindo risco no trabalho
Escrito por flavaccaro

Entre os cinco sentidos, a visão é aquela que promove o maior número de informações a serem processadas pelo cérebro. Grande parte do potencial de processamento cognitivo humano é utilizado para interpretar informações visuais desde a infância, e por isso o ser humano é predominantemente visual.

imagens-ilustrativa-de-luvas-a-ser-usadas-na-cozinha-epi-em-latex-e-antitermica-mais-usada-na-cozinha-industrial

É por esse motivo que a sinalização de segurança no ambiente laboral é tão importante. Por meio de um simples anúncio, de uma cor ou de um símbolo é possível comunicar mensagens complexas, evitar acidentes e até mesmo salvar vidas.

Neste post você vai conhecer a NR 26, que apresenta e regula algumas normas relativas à segurança e sinalização no local de trabalho.

varias-placas-de-sinalizacao-para-uso-no-ambiente-de-trabalho

A NR 26

A Norma Regulamentadora (NR) nº 26 consiste em um conjunto de regras de observância obrigatória por parte de todas as empresas regidas pela CLT no Brasil, sendo revisadas periodicamente pelo Ministério do Trabalho.

Seu principal objetivo é estabelecer e fixar cores específicas, que devem ser usadas para identificar equipamentos de segurança ou canalizações que conduzem líquidos/gases, delimitar áreas, advertir riscos e garantir a segurança de todas as pessoas que convivem naquele ambiente.

O descumprimento da norma implica em uma notificação formal, que estipula um prazo de 1 a 60 dias para a correção da sinalização. Caso o erro persista, o empregador deverá ser multado. O valor da taxa varia conforme o nível da irregularidade identificada.

O uso de cores na NR 26

As sinalizações com o uso de cores, sempre que necessário, devem ser acompanhadas de palavras ou símbolos convencionais, respeitando as seguintes especificações:

Vermelho

Ao contrário do que muita gente pensa, a cor vermelha não é utilizada para sinalizar “perigo”, mas para identificar água e outros recursos de combate a incêndios. Por isso é tão comum encontrar hidrantes, extintores, caixas de alarmes, portas de emergência e sirenes dessa cor.

Amarelo

Assim como nos sinais de trânsito, a cor amarela é usada para indicar o sinal de “cuidado”, em locais e situações de risco, como pisos molhados, fundos de letreiros com advertências, corrimãos, escadas móveis, parapeitos etc.

Branco

O branco é normalmente empregado em faixas, para demarcar passarelas, corredores ou indicar sentidos de circulação. Também pode ser usado para indicar a localização de bebedouros, coletores de resíduos e zonas de segurança.

Preto

A cor preta pode ser usada em substituição à branca (ou combinada a ela) em algumas condições especiais, ou ser indicada para identificar combustíveis de alta viscosidade, como óleos lubrificantes, piche, alcatrão, óleo combustível etc.

Laranja

Devido ao seu tom chamativo, o laranja possui um uso mais versátil para sinalizar possíveis ameaças. Geralmente está presente em canalizações com ácidos, partes móveis de equipamentos, equipamentos de salvamento aquático e dispositivos de corte, como prensas e bordas de serras.

Verde

Diferentemente de todas as outras tonalidades apresentadas, o verde é usado para indicar segurança. Por isso, a cor é facilmente encontrada em caixas de equipamentos para proteção individual ou primeiros socorros, chuveiros de emergência, emblemas de segurança e sinalização de portas que indicam atendimentos de urgência.

Púrpura

Essa tonalidade é utilizada para apontar os riscos originados de radiações eletromagnéticas e partículas nucleares. Está presente em equipamentos, portas e recipientes que contêm diferentes níveis de radiações penetrantes.

Como fazer a sinalização de segurança nas indústrias

Apesar do uso da sinalização não dispensar a adoção de outras medidas de prevenção de acidentes no trabalho, a estratégia pode ajudar com a conscientização de funcionários e visitantes na indústria. No entanto, é importante lembrar que a variação de cores utilizada deve ser a mais simples e reduzida possível, para que não se torne confusa ou ocasione distrações ao observador.

Outras dicas úteis para a implantação dessa sinalização de segurança, seguindo a NR 26, são:

Realizar um planejamento prévio

Como qualquer outro processo estratégico, a sinalização deve ser planejada antes de ser implantada, ou seja, é preciso que um profissional especialista em segurança do trabalho realize uma análise de riscos no ambiente laboral, com o intuito de identificar quais perigos estão ameaçando os funcionários e definir qual será o tipo de sinalização exigida.

Investir em treinamentos

A capacitação de todos os membros da indústria para a interpretação correta dos sinais utilizados e boas práticas de segurança é um complemento importante para a prevenção de riscos. Afinal, de nada adianta poder contar com um sistema de sinalização eficiente se o observador não puder compreendê-lo.

Priorizar a clareza

Além de se certificar que as sinalizações tenham todas as características que correspondem às exigências legais, é importante lembrar que a padronização dos sinais é essencial para que trabalhadores do mundo inteiro sejam capazes de interpretar as mensagens transmitidas com rapidez.

Sendo assim, a linguagem utilizada deverá ser curta e objetiva, sem se basear apenas nas propriedades de um produto ou local, mas com o intuito de evitar as ameaças ocasionadas com o uso daquele recurso.

De acordo com a norma, algumas palavras de advertência que devem ser usadas são:

  • perigo, para apresentar cenários ou substâncias de alto risco;
  • cuidado, para cenários ou substâncias de médio risco;
  • atenção, para lidar com possibilidades de riscos leves.

Dar atenção aos rótulos

Os rótulos de substâncias químicas presentes no local de trabalho devem conter o nome técnico do produto, a especificação de sua natureza, a palavra de advertência (com o objetivo de definir o grau de risco) e instruções para médicos em casos de acidentes, bem como as orientações adequadas de procedência para lidar com fogo, derrames ou possíveis vazamentos.

Guiar o funcionário

Ao longo de um dia da jornada de trabalho, o ambiente laboral é acessado por diferentes tipos de profissionais e visitantes. O problema é que algumas dessas pessoas podem não estar acostumadas com aquele labirinto de armadilhas, e até mesmo quem está habituado a frequentar aquele espaço deve ser bem informado e (literalmente) guiado por uma sinalização eficaz para garantir a segurança daquele transeunte.

Sendo assim, o essencial é que todas as placas, os avisos e as imagens sejam posicionados de forma conectada, estratégica, bem-disposta e visível, sem atrapalhar o tráfego de pessoas ou causar distrações visuais.

Agora que você já sabe tudo sobre a NR 26, aproveite para aprimorar ainda mais os seus conhecimentos sobre segurança laboral. Leia este post sobre simulações de fuga e aprenda como se organizar para lidar com situações de emergência.

banner-com-placas-de-sinalizacao-vendidas-no-gaveteiro

Sobre o autor

flavaccaro

Flavia é redatora do Gaveteiro.com.br

Deixar comentário.

Share This