Agropecuária Comércio/Logística Construção Civil Indústria Manutenção Predial

EPI de proteção facial: entenda quais são, quando e por que usar

Fernanda Silva
Escrito por Fernanda Silva

Muitas vezes, o ambiente de trabalho expõe o trabalhador a riscos devido à presença de agentes físicos, químicos ou biológicos prejudiciais à saúde. Por isso, é preciso investir em equipamentos para evitar a contaminação, como o EPI de proteção facial.imagens-ilustrativa-de-luvas-a-ser-usadas-na-cozinha-epi-em-latex-e-antitermica-mais-usada-na-cozinha-industrial

Essa é uma medida importante para proteger os empregados dos riscos existentes, além de cumprir as regras da legislação trabalhista, como a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e as Normas Regulamentadoras (NR).

Sendo assim, é fundamental entender quais são os EPIs existentes e quando eles devem ser utilizados. Quer saber mais sobre o assunto? Então continue a leitura!

Quais são os EPIs de proteção facial?

Primeiro, é importante compreender o que é um EPI. Essa é a sigla para Equipamentos de Proteção Individual, que são regulamentados pela NR 6. São assim considerados todos os dispositivos ou produtos desenvolvidos com o objetivo de proteger o trabalhador, individualmente, dos riscos existentes no ambiente de trabalho que possam prejudicar a sua segurança ou a sua saúde.

Anexo I da norma traz uma lista com os EPIs existentes, sendo considerado os de proteção facial os equipamentos previstos em duas classificações:

  • proteção dos olhos e da face;
  • proteção respiratória.

Proteção facial

Esses EPIs costumam oferecer viseiras articuladas, projetadas para proteger o rosto do trabalhador dos seguintes riscos:

  • impactos de partículas;
  • luminosidade intensa;
  • radiação infravermelha;
  • radiação ultravioleta;
  • riscos de origem térmica.

Proteção dos olhos

Os óculos são desenvolvidos em diferentes modelos, com materiais e cores diversas para se adequar a cada tipo de atividade. É possível adquirir opções que protegem contra:

  • impactos de partículas;
  • luminosidade intensa;
  • radiação ultravioleta;
  • radiação infravermelha.

Também existem as máscaras de solda, que protegem os olhos e a face contra todos esses riscos.

Conheça no Blog do Gaveteiro quais são os principais EPI de proteção facial e saiba a importância de uso de cada um deles.

Proteção respiratória

Algumas atividades expõem o trabalhador a agentes prejudiciais ao sistema respiratório, que facilitam o desenvolvimento de algumas doenças e, em casos mais graves, causam o óbito. O principal objetivo é vetar a entrada de gases e partículas, com ou sem adução de ar. Em geral, eles protegem contra:

  • névoas;
  • fumos;
  • poeiras;
  • radionuclídeos;
  • gases;
  • vapores;
  • alta ou baixa concentração de oxigênio.

Quando o trabalhador deve usar o EPI?

Para saber quando o trabalhador deve usar EPI, a empresa precisa fazer uma análise completa das atividades exercidas, considerando riscos e condições de trabalho. Sempre que for constatada a necessidade de proteger alguma região da face, é essencial usar os equipamentos para evitar danos. No caso dos equipamentos de proteção facial, como vimos, eles são comuns quando há exposição a:

  • respingos químicos.
  • radiação;
  • luminosidade intensa;
  • impactos de partículas;
  • poeira;
  • fumaça;
  • fuligem.

Por isso, são bastante comuns em serralherias e madeireiras, setores expostos a riscos biológicos ou químicos, espaços confinados e indústrias de construção civil. No entanto, somente com uma análise completa das instalações da empresa é possível identificar os agentes de risco.

Com base nessas informações, é necessário fazer uma análise acerca dos diferentes tipos de EPI para identificar quais são os mais adequados para oferecer a proteção necessária, sempre de acordo com os riscos identificados.

Como escolher o EPI de proteção facial?

O EPI de proteção facial deve ser escolhido de acordo com os riscos envolvidos na atividade, conforme já explicado. Outro ponto importante é procurar equipamentos de qualidade e que sejam certificados pelo Ministério do Trabalho.

Isso é importante para garantir a efetividade do equipamento, pois antes da certificação, ele passa por testes do Sistema Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Sinmetro). Ao efetuar a compra, observe o prazo de validade dos equipamentos e mantenha um controle dos prazos no estoque para não fornecer EPIs vencidos aos trabalhadores.

Um ponto importante para definir os equipamentos que serão adquiridos é a ergonomia. Muitas vezes, o EPI precisa ser utilizado durante toda a jornada de trabalho, o que pode gerar desconforto no empregado e prejudicar a sua produtividade.

Portanto, mesmo que eles tenham um custo mais elevado, vale a pena focar em produtos ergonômicos, desenvolvidos para proteger o trabalhador, sem que isso signifique abrir mão do conforto e da qualidade de vida no trabalho.

Por que é importante usar os EPIs?

O uso de EPI de proteção facial é fundamental para reduzir ou eliminar a exposição aos agentes de risco durante o trabalho, sendo uma das principais medidas de segurança. Aqui, é importante que tanto a empresa quanto os empregados conheçam as suas responsabilidades em relação ao equipamento.

Responsabilidades da empresa

O empregador exerce algumas funções essenciais em relação aos EPIs, que devem ser observadas para atender à legislação e para proporcionar mais segurança aos trabalhadores, reduzindo os riscos de acidentes de trabalho.

A primeira é o fornecimento dos equipamentos aos trabalhadores, o que deve ser feito de forma gratuita, de acordo com os riscos da atividade. Eles precisam ser entregues em perfeito estado de conservação e funcionamento para oferecer uma proteção completa ao empregado. Em caso de perda ou danos, cabe à empresa substitui-lo.

No entanto, não basta entregar os EPIs aos empregados: o empregador também deve fornecer as orientações e treinamentos necessários para o uso correto, abordando também práticas para a guarda e conservação, além de fiscalizar a sua utilização pelos colaboradores.

Como cabe à empresa comprovar o cumprimento das obrigações, também é essencial manter o registro de entrega e substituição de EPIs por meio de fichas, livros ou sistemas eletrônicos idôneos.

Responsabilidades do empregado

Os trabalhadores também têm responsabilidades com o EPI de proteção facial, portanto, é fundamental que a empresa trabalhe na conscientização sobre a importância e necessidade do uso. De acordo com a NR 6, cabe aos empregados:

  • usar os EPIs corretamente, de acordo com a finalidade;
  • tomar as medidas de guarda e conservação necessárias;
  • comunicar a ocorrência de alterações que tornem o EPI impróprio;
  • cumprir todas as regras do empregador a respeito do uso do EPI.

O descumprimento das regras pelo trabalhador pode ser penalizado com advertência (verbal ou escrita), suspensão ou, em casos mais graves, justa causa. Contudo, é preciso ter atenção à proporcionalidade da punição no momento de aplicá-la.

Como vimos, o EPI de proteção facial exerce um papel fundamental entre as medidas de segurança do trabalho, portanto, a empresa deve fornecer os equipamentos e conscientizar os colaboradores sobre a importância do uso correto. Assim, é possível eliminar ou, ao menos, reduzir os riscos envolvidos na atividade.

Então, gostou deste artigo? Se você quer se manter informado sobre as principais normas de segurança do trabalho, assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos como este!

Sobre o autor

Fernanda Silva

Fernanda Silva

Produtora de conteúdo no Gaveteiro.com.br.

Deixar comentário.

Share This