Conheça a história do Moleskine, esse sofisticado caderno

O Moleskine é um item que tem se confirmado com um surpreendente sucesso de vendas recente. É muito curioso que, em um mundo cada vez mais focado em tecnologia digital, o público possa se render fortemente ao caderno que remete à nostalgia do passado. A seguir conheça um pouco mais sobre a trajetória desse produto tão interessante e cheio de histórias para contar e que vai trazer um pouco de arte no escritório.

moleskine vermelho

Esse objeto tem conexão com o clássico conjunto de papéis encadernados que fez companhia a tantos artistas e filósofos por ao menos 200 anos – Van Gogh, Ernest Hemingway, Pablo Picasso e Bruce Chatwin são alguns deles.

moleskine historia

Esse produto discreto tem várias folhas – pautadas ou não – originalmente é de cor preta, possui extremidades arredondadas, elástico para prender as capas e uma pequena bolsa na parte interna, para guardar um material de uso mais imediato. Em origem, foi produzido por cerca de 50 anos por um francês do ramo da encadernação, que era considerado uma espécie de fornecedor primordial das papelarias – que eram frequentadas pela elite intelectual francesa e de estrangeiros que iam à maior capital cultural dessa época. Ou seja, quem diria que um pequeno maço de papéis guardaria tanto talento, disposição para o trabalho e, em suma, muitas ideias fascinantes sobre o que a mente do homem é capaz de criar. Tudo isso antes de irem à público, pois funcionavam como diários íntimos desses artistas.

moleskine tipos

Muitos anos mais tarde, já em 1980 o Moleskine – assim chamado por ser elaborado a partir da pele de toupeira, do inglês “mole skin” – sumiu do mercado, o que levou ao desespero o escritor Chatwin, e ainda aconteceu mais: no ano de 1986 os fabricantes faliram. Então a atitude do autor foi uma só: comprou todas as unidades que encontrou em sua frente. O estoque acabou não durando tanto quando Chatwin imaginava.

moleskine papéis

O uso desse objeto foi retomado em fins da década de 1990 por meio de empresários milaneses. Desse modo, o objeto ganhou em definitivo o nome – que remetia ao couro da toupeira. Hoje em dia, esse tecido e sintético. Você gosta de arte no escritório? Compre um Moleskine.

Curiosamente, esse sentimento de nostalgia acaba acometendo as pessoas que possuem um Moleskine. Talvez essa seja a principal razão do sucesso de vendas do pequeno caderno. E você, já tem o seu? Aproveite!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s